Como planejar a decoração da sua casa em 9 passos

decoração 9 passos

Sabemos que chegar num apartamento vazio e ter a responsabilidade de decorar o espaço é um pouco assustador – e, de fato: o projeto do interior do seu lar requer planejamento, cuidado e uma pesquisa minuciosa.

Ao contrário do que muitos pensam, um visual criativo e de bom gosto não é mais exclusividade de famílias ricas – o design de interiores vem, cada vez mais, se tornando acessível para diferentes rendas.

Antes de tudo, é importante lembrar que projetar a decoração de um lugar não é só colocar a estética do ambiente em jogo – é fundamental considerar a funcionalidade do cômodo na hora de elaborar um projeto. Esse fator é capaz de garantir que a vida dos moradores fique mais prática.

1. Escolha o cômodo a ser decorado

É importante ter certeza do espaço que você pretende decorar em casa. Isso porque é fundamental ter em mente exatamente o que você precisa para preencher cada local – o orçamento inteiro será baseado nisso. Saber qual o cômodo a ser ornamentado garante que não haja gastos excessivos com nada – somente o necessário e o planejado entrarão nas contas.

Mas, se a sua ideia é começar do zero a decoração de toda a sua casa – bom, passe direto para o próximo passo.

2. Tire medidas

Depois de decidir o ambiente que deseja decorar – ou os ambientes – tire medidas. Comprimento das paredes, altura do pé direito e já comece a imaginar com o que você pretende preencher o ambiente.

Lembre-se sempre de levar em conta a proporcionalidade na hora de decidir qual mobília inserir no cômodo. A fluidez da sua decoração e a garantia de que tudo ficará visualmente agradável se dá, principalmente, pela proporção entre os móveis, acessórios, revestimentos e o espaço disponível no ambiente.

As medidas do seu cômodo vão nortear a escolha das mobílias – e, assim, serão o guia para um orçamento preciso.

3. Inspire-se

Referência é um dos pontos mais importantes para preparar a decoração de um cômodo da sua casa. Procure pelos estilos de decoração que mais te agradam e entenda exatamente o que você quer e o que não quer para enfeitar o ambiente.

Independente da contratação de um profissional ou não para decorar seu espaço, ter consciência das tendências de design de interiores que mais fazem o seu tipo e as cores que você pretende usar é fundamental para que, principalmente, o local não pareça visualmente confuso e para que a sua casa tenha a sua cara.

Sites como Pinterest, Houzz e Casa Abril são ótimas fontes de pesquisa para imagens de interiores prontos com referências de tendências, lojas e preços.

4. Contratar ou não um profissional

É importante executar as tarefas acima primeiro para que você tenha noção do tamanho do seu projeto e para que, então, você possa decidir se dá conta do recado sozinho ou se é melhor contratar um profissional especializado na área.

Nós sempre recomendamos que, pelo menos, seja feita uma consulta com um designer de interiores – dessa maneira, você minimiza as chances de cometer erros na hora de fazer o seu planejamento da decoração.

Além disso, os designers de interiores têm profundo conhecimento do mercado de decoração, acompanharão e podem até orientar o processo de escolha das cores e são as pessoas ideais para encontrar os melhores preços e, quem sabe, até conseguir descontos em peças decorativas.

5. Desenhe

Um esboço de como você quer que seja o resultado do seu projeto é muito importante. Se você escolher decorar seu ambiente sozinho, empenhe-se em rabiscar suas ideias num papel, mesmo que ilustração não seja lá a maior das suas habilidades.

Se você domina softwares de modelagem, o SketchUp é uma boa opção para elaborar a planta do ambiente que deseja decorar – o programa ainda te possibilita obter uma perspectiva em 3 dimensões. O bim.bon tem um aplicativo que ainda te permite fazer download de mobília e itens decorativos em blocos 3D de graça – baixe aqui.

Se você não faz ideia de como inicar o software, não precisa preocupar – alguns sites disponibilizam simuladores de decoração bem didáticos e fáceis de usar. O da Casa e o da Suvinil, por exemplo, são muito eficazes e você não enfrenta dificuldades para utilizar o programa.

Quando um profissional da área é contratado, essa parte fica mais fácil – o designer de interiores se encarrega de desenhar o seu projeto e você tem toda a liberdade para vetar ideias ou acrescentar outros conceitos.

6. Reaproveite

Antes de ir a procura de preços e dos objetos decorativos que você pretende inserir em casa, dê uma vasculhada no quartinho de entulhos ou nos cômodos que quase não são usados.

Avalie o que dá para aproveitar em outro ambiente e o que não dá. Se a sua ideia é caprichar no visual da casa sem pesar no bolso, essa é uma dica fundamental para garantir economia no seu projeto. Seja criativo e comece a reorganizar a decoração da sua casa com seus próprios objetos antes de partir para compras ou para elaboração de orçamentos.

Uma opção interessante a se considerar também é o brechó de móveis – principalmente quem aprecia o estilo vintage e não quer gastar muito com itens de colecionador, os brechós oferecem muito charme por um preço bem razoável.

7. Projetos “Do It Yourself” – DIY

Depois de definir as cores, o estilo de decoração e o que você realmente deseja renovar no ambiente, pesquise se existem maneiras de você mesmo confeccionar os objetos decorativos. Na internet, existem centenas de tutoriais de “do it yourself”, que vão desde como fazer o seu próprio abajur até como fazer seu adesivo de parede.

Depois de definir as cores, o estilo de decoração e o que você realmente deseja renovar no ambiente, pesquise se existem maneiras de você mesmo confeccionar os objetos decorativos. Na internet, existem centenas de tutoriais de “do it yourself”, que vão desde como fazer o seu próprio abajur até como fazer seu adesivo de parede.

8. Definição do orçamento

Depois de avaliar todas as possibilidades de economizar nos objetos, passeie por muitas lojas especializadas em interiores e decoração. Pesquisar preços do mercado é a melhor forma de manter o princípio da economia na hora de orçar o seu projeto.

Há um catálogo de objetos de decoração com preços e referências dos fabricantes que também permite que você calcule o orçamento aí mesmo, da sua cadeira – clique aqui e veja quais os produtos disponíveis para consulta.

Se você decidir contratar um profissional, o designer de interiores vai se encarregar de elaborar um orçamento para você – é possível que, por ele ter contatos e ser do meio, você consiga alguns descontos.

9. Tempo de obra

Por último, mas não menos importante, avalie o tamanho do seu projeto e estime um tempo para a obra de execução do que você planejou. Essa estimativa é necessária para que, dependendo da proporção do projeto, você saiba se será necessário sair de casa durante o processo e por quanto tempo.

Mesmo que não exista mão de obra envolvida, ainda sim é uma etapa importante do processo, já que fica mais fácil de estimar quanto tempo você vai precisar dedicar à decoração da sua casa.

Com essas dicas, a garantia de um projeto de interiores econômico e com o toque da sua personalidade é certa.

Fonte: Hometeka

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: