As regras do mínimo esforço

A escolha da planta, o tipo de piso e até o modo de cultivo das espécies podem minar a conservação do jardim.

Sombra – Em uma área sombreada, invista em plantas que aceitam o cultivo sob luz indireta. Algumas delas: pacová, lírio-da-paz, zamioculca, licuala, prímula, guaimbê, clívia, pata-de-elefante, maranta, espada-de-são-jorge, lança-de-são-jorge, asplênio, sapatinho-de-judia (foto), singônio, peperômia e pau-d’água. Projeto de Odilon Claro.

moldura_1

Piscinas – Espécies com folhas caducas, que caem facilmente, e com folhas pequenas podem entupir o filtro se plantadas próximo da piscina. Prefira pândanos (foto), dracena, palmeiras, jasmim-manga, árvore-do-viajante e iuca. Mas deixe, pelo menos, 80 cm de distância para a circulação. Projeto de Alex Hanazaki.

ARVORES

Adubação – Um jardim bem adubado cresce mais rápido e livre de pragas. Para isso, escolha um fertilizante orgânico, como o húmus de minhoca. Ele deixa o solo mais saudável e prolonga os períodos de florada. O adubo orgânico também pode ser produzido em casa, pela técnica de compostagem. Projeto de Gil Fialho.

Porte – Antes de plantar qualquer espécie, informe-se sobre quanto ela vai crescer para não ter de trocá-la de lugar, e de que tipo é a sua raiz. O fícus, por exemplo, é uma árvore de raízes profundas e invasivas, capazes de estourar tubu-lações e deformar pisos. Cultive-o em vaso, de preferência de concreto armado para limitar seu crescimento. Projeto de Daniela Sedo.

muros

Muros – As trepadeiras que têm gavinhas para se fixar em muros ou perdem totalmente as folhas no inverno ou danificam a alvenaria tamanha a brutalidade de suas raízes. Para uma manutenção sem podas, aposte em caixas de aço galvanizado, painéis de fibra de coco ou treliças de madeira (foto) com variedades pendentes. Projeto de Rodrigo Oliveira.

Corredores – As áreas de circulação costumam ser estreitas, por isso evite espécies com espinhos e folhas pontiagudas, como iuca, cica e dasilirium. Opte por aquelas que podem ser controláveis com poda, como murta, tumbérgia-arbustiva, podocarpo e nandina. Mas fique atento com a insolação antes de fazer a sua escolha. Na foto, helicônia. Projeto de Claudia Diamant.

madeira

Piso – Um jardim inteiro gramado pode ser lindo, mas a grama esmeralda, por exemplo, pede muito sol e podas constantes. Para ter menos trabalho, vale a pena criar caminhos e demarcações de espaço com seixos, cruzetas, deques e pedriscos (foto), e diferentes pisos drenantes e intertravados. Projeto de Mônica Lauretti.

Flores e frutos que mancham – Se você não abre mão de ter gerânio, quaresmeira, jasmim-manga (foto) ou amoreira em seu jardim, dê preferência a revestimentos menos porosos ou use forrações para evitar o contato direto com o piso. A quaresmeira pode manchar até mesmo a tinta dos carros. Por isso, plante-a longe de garagens. Projeto de Marcelo Faisal.

Fonte: Casa e Jardim

 

 

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: