Saiba dicas para criar um espaço descolado e ter uma biblioteca em casa

Montar uma biblioteca em casa requer criatividade para aproveitar pequenos espaços ou para buscar um visual descolado e organizado para os livros
Se você tem muitos exemplares e espaço, o ideal é investir em uma grande estante para criar um visual descolado e organizado (Líder Interiores/Divulgação)

Se você tem muitos exemplares e espaço, o ideal é investir em uma grande estante para criar um visual descolado e organizado (Líder Interiores/Divulgação)

Amantes da leitura valorizam um espaço bonito, agradável e aconchegante para aproveitar momentos de prazer ao lado de um bom livro. Ainda que vivenciemos a era dos livros digitais, os tradicionais exercem fascínio entre os admiradores da literatura. Portanto, é fato que as bibliotecas vão sobreviver aos diferentes paradigmas tecnológicos. Não vão sumir, podem sim conviver simultaneamente como já ocorre, livros físicos e virtuais lado a lado.
Profissionais da decoração confirmam que ainda há muito fôlego e pedidos tanto de bibliotecas pessoais isoladas como conjugadas com outros espaços. Ambientes multiuso com lugar para CD, DVD, tablet, kindel e o bom e velho livro de papel. Guardar conhecimento e cultura nunca vai sair de moda. Não importa a época.

 

Vamos aos livros. Se você tem muitos exemplares e espaço, o ideal é investir em uma grande estante com design arrojado para criar um visual descolado e organizado. Se o ambiente é pequeno, há soluções como montar sua biblioteca com saídas criativas, como usar o espaço disponível debaixo da escada, adaptar prateleiras na parede de um canto do corredor ou mesmo instalar prateleiras suspensas, bem altas, o que evita ocupar espaço.A designer de interiores Denise Vilela assegura que quase todo mundo pede, ainda que não seja uma biblioteca tradicional, um espaço que a substitua para guardar os livros e ler tranquilamente. “O livro digital não assumiu o lugar do livro de papel, que continua com espaço garantido, ainda que adaptado. Agora, perfis como os de advogados e juízes permanecem em alta, exigindo uma biblioteca clássica.”

Denise ensina que, até pela falta de espaço atualmente, o ambiente mais desejado é a biblioteca-escritório, ou seja, o dois em um. “O escritório atende todos da casa e a biblioteca é montada na parte alta, suspensa, numa bancada de livros ou mesmo na tradicional estante.” A designer conta ainda que tem sido comum o quarto de hóspede ter um sofá ou bicama dividindo espaço com uma biblioteca. “Outra saída comum é cada morador ter uma minibiblioteca em seu quarto. Ou ainda há quem prefira deixar os livros na sala de TV e usar o artifício da porta pisotante, que economiza e divide espaço de forma bonita e, por ser móvel, sobra espaço para aproveitar todos os cantos, não só com livros, mas com CDs e DVDs.” 

A biblioteca também pode dividir espaço com a adega, por exemplo. Denise explica que basta setorizar no ambiente um móvel multiuso com lugar para copos, taças e livros. “A regra é ter criatividade. Ultimamente, há biblioteca até na cozinha ou na área gourmet, na qual os livros de culinária ficam expostos.” A designer lembra ainda que livros fazem parte da decoração. “Para não virar bagunça ou ser colocado de qualquer forma, o importante é a maneira de apresentá-los, a disposição ao lado de enfeites e quadros. Não precisa ser só livro de capa dura, especiais, caros… A diferença está na forma de exibi-los.” A última dica de Denise é quanto à luminosidade, que precisa estar em pontos estratégicos para valorizar, embelezar e não estragar os exemplares.

 (Líder Interiores/Divulgação)

(Líder Interiores/Divulgação)

Coleções 

Fernanda Berni, designer de interiores do Shopping Minas Casa, reforça que a biblioteca sobrevive tanto em espaços nobres, específicos quanto em móveis dentro de outros ambientes (quarto ou sala de estar). “É comum as pessoas terem coleções de livros, revistas ou quadrinhos. Além de estantes, elas podem ir para nichos, prateleiras, painéis de madeira com vidro embutidos. Enfim, tudo depende do conceito do projeto, quantidade e planejamento do morador.”

O importante, de acordo com Fernanda, é ter soluções versáteis e mobilidade para determinados projetos, como trabalhar com móveis prontos ou sob medida. Há ainda opções práticas, como móveis antigos, armários com porta de vidros ou cristaleiras que podem assumir o papel de biblioteca. Ela lembra que estante com porta de vidro protege e reduz o trabalho de manutenção. A cor do espaço influencia, apesar de não ter uma regra obrigatória. “Mas se o ambiente é para leitura, é conveniente tons sóbrios. Se for colorido, certamente será dispersivo e cansativo. O mobiliário tem de ser mais neutro.”

Fernanda reforça a importância da iluminação: “A luz branca favorece a leitura, a concentração. Agora, se a intenção for mais de espaço para aconchego e relax, opte pela luz amarela.” O ambiente confortável também é determinante. Sofás ou poltronas têm de ser de qualidade e aconchegantes. Cuidado ao apostar só na beleza ou designer, pois você corre o risco de não conseguir ler um só livro. “Não adianta o móvel ser lindo e causar problema de postura, dor de coluna… Só dou aval para peça confortável.” 

Todo cuidado é pouco

Professora de arte, Elisa de Mello Kerr Azevedo, com formação em artes plásticas e pedagogia, e especialista em restauração de papéis e documentos antigos e encadernação clássica, dá dicas de como preservar seus livros numa biblioteca ideal:

1 O livro deve ficar em pé, formando um ângulo reto com a prateleira, já encostado ao próximo livro, um ao lado do outro. Evite pressioná-lo contra o outro, ele precisa deslizar suavemente ao ser retirado da estante. É fundamental que isso ocorra sem que haja qualquer atrito entre eles. Caso contrário, será necessário segurá-lo com força pela lombada, o que o danificaria. Enfileire-os de forma a conseguir manuseá-los segurando-os pela capa.

2 Escolha bem o local da estante onde vão ficar guardados: a luminosidade excessiva desbota suas capas e a umidade deforma tanto a sua capa quanto o miolo. Portanto, mantenha-os longe dos raios solares e da umidade.

3
 A poluição e a poeira são danosas para nós – e também para nossos livros. Logo, devemos mantê-los livres do pó. Esqueça o pano úmido, ou qualquer tipo de material de limpeza. Eles diminuem o tempo útil de seus livros. Limpe sempre as estantes e as capas de seus livros com uma flanela seca.

4 Existem profissionais especializados em higienização de bibliotecas, que são capazes de identificar e limpar livros adequadamente. Nem sempre o que parece pó é realmente pó. Pode ser algum tipo de fungo e são perigosos à nossa saúde.

5 Temos o costume de deixar papéis, marcadores, cartas, folhinhas e pétalas secas dentro dos livros. Às vezes encontramos clipes ou mesmo vestígios de alimentos dentro deles. Quaisquer objetos, sejam orgânicos ou não, deixam marcas. Com o tempo, a marca passará para as páginas adjacentes. A ferrugem causada pelos clipes corrói o papel. Já a gordura, a saliva e outros materiais acidificam-no, tornando-o quebradiço e com manchas amareladas. O importante é manter o livro sem qualquer objeto dentro.

 

Fonte: Lugar Certo – Lilian Monteiro – Estado de Minas

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: